28 de mai de 2009

>>> Artista do Mês

Fala pessoal, tudo certin?
Bem, vamos começar mais um "Artista do Mês" aqui no portal. E o homengiado de hoje é...
nada mais nada menos que... Justin Timberlake.

Nascido no dia 31 de Janeiro de 1981, na cidade de Memphis localizada no estado norte-americano de Tennessee. Com 7 anos de idade inicia a carreira de cantor. Passados mais 5 anos, já com 12 anos entra para o time do “Mickey Mouse Club”, um programa infantil do Canal da Disney. Vale lembrar que neste mesmo programa nasceram outros grandes artistas como Britney Spears,Christina Aguilera, JC Chasez e Keri Russell (atriz protagonista do seriado “Felicity”)
Aos 15, ao lado do colega JC, Justin entrou no grupo N’Sync. Na companhia de Lance, Joey e Chris, lançaram o primeiro disco, chamado simplesmente “‘NSync”, que emplacou ‘hits’ como “Tearin’ Up My Heart”, “I Want You Back” e “A Little More Time On You”, entre outros.
Sempre uma figura de destaque no palco, Justin é quem fazia os vocais principais do grupo. Em 2002 decide investir em uma nova área e lança seu primeiro álbum solo, apostando mais na sonoridade dos anos 70, misturada com Black Music.

Intitulado “Justified’, o álbum fez enorme sucesso, rendendo ao cantor diversos prêmios, inclusive os da MTV. Sua primeira apresentação sozinho aconteceu na cerimônia da realizada pela emissora, o VMA, na edição de 2002.

O cantor continuou faturando alto com sua carreira solo, o que adiou por tempo indeterminado a volta do N’Sync. Expandindo ainda mais seus horizontes, Justin investiu também na carreira de ator, participando do filme “Edison - Poder e Corrupção”, e lançando uma linha de roupas, a “William Rast”, em 2005.

Nesse mesmo ano, se envolveu numa apresentação polêmica no intervalo do Superbowl, o campeonato de futebol americano. Numa performance com Janet Jackson, ele puxou uma parte do figurino da artista durante a coreografia, expondo um dos seios dela. O astro, porém, negou que tivesse qualquer culpa no incidente. Porém esta cena inegavelmente entrara naquele momento para a história da música pop também.

No ano de 2006, o cantor lançou “FutureSex/LoveSounds”, produzido por Timbaland e Rick Rubin e bem recebido pela crítica em geral. A canção “SexyBack” atingiu a marca de 250 mil downloads em uma semana, nos EUA.O álbum também lançou singles adicionais, os quais foram top vinte nos EUA, como "What Goes Around... Comes Around", "Summer Love", "Love Stoned" e "Until the End of Time"realizando o feito de bater assim um recorde, no qual pela primeira vez um cantor masculino emplaca seis hits que entram no top vinte de um único álbum, desde Michael Jackson em 1991 com seu álbum "Dangerous".
Vendendo assim mais de 9 milhões de cópias no mundo inteiro.
Na parte pessoal, o rapaz já teve na listinha de rolos nada mais nada menos que algumas estrelas famosas pelo mundo como Britney Spears, Camerón Diaz, Bar Rafaelli e atualmente com a atriz e modelo Jéssica Biel.
Hoje, o moço além de um cantor de sucesso pelo mundo, é também empresário, ator, dançarino e produtor musical.

Vlw e esse foi mais um...
Artista do Mês!!=T

7 de mai de 2009

>>> O diário de Rodrigo


Capítulo III - Quem é você?

Hoje o dia amanheceu nublado. Acordei cedo pra estudar, mas sentia algo esquisito em mim. Sentei-me na varanda, fiquei vendo o céu e pensando na vida. Lembrei dos anos passados e de duas pessoas queridas que passaram em minha vida. Elas eram a Karina e o outro era o Hugo.
Ela era uma morena linda, com cabelos lisos e castanhos. Inteligente e simpática não tinha uma pessoa que não se encantava pela Kari - seu apelido quando éramos pirralhos. Tinha um olhar forte, centrado mas que ao mesmo tempo transmitiam uma calma e alegria sem igual. Enquanto o Hugo - ou Hugui seu apelido também - era muito brincalhão, engraçado ao extremo. Sem brincadeira só de olhar pra figura dava pra notar como era a peça. Entretanto era um pouco parecido comigo em alguns aspéctos, como na síndrome do palhaço. É, não é zuação não, na verdade é que aquelas pessoas que muito provocam sorrisos acabam sorrindo demais até em horas desnecessárias. Como uma defesa, que não deixava problemas, dores ou perdas serem sentidas veradeiramente. Eu também era um pouco assim, sendo mais reservado que o Hugui.
Rimos muito, aprontamos muito nos tempos da escola. Saíamos pra comer pastel no tio José, da esquina. Velhos e bons amigos. Como era boa essa amizade. Com o passar do tempo crescemos. A Kari teve que mudar de cidade. O Hugui ficou mais tempo, mas logo teve que acompanhar a família, mais precisamente o pai - uma vez que tinha pais separados e todo início de verão ele passava uma temporada com cada um deles - com quem morava na época. Ficamos um bom tempo sem nos ver, nos falávamos pela net e sempre combinávamos de nos encontrar nas férias. Coisa que até então nunca tinha acontecido.
Retomando a vida, assisti a várias aulas, trabalhei e tive um dia difícil no trabalho. A única coisa que melhoraria o final do dia era alguma surpresa. Valia lembrar que minha mãe queridona, sempre que podia, preparava alguma coisa especial pra mim. Mas quando cheguei em casa, colocava a chave na porta, senti um perfume familiar - deu pra notar que apesar de não escutar perfeitamente eu tinha um olfato muito bom por sinal. Era um odor doce e refrescante, do qual só uma pessoa conhecida usava. Insistia em não reconhecer de quem pertencia. Entrei apressado e tive a tal surpresa. Minha mãe estava na sala e acompanhada das visitas mais inesperadas daquele inverno.
Ela usava um vestido levemente azulado, com a velha faixa branquinha nos cabelos - estes que agora não estavam mais como enfeites apenas, junto a fita se portavam com uma trança solitária na parte posterior da cabeça. Era a Kari que estava a me esperar com aqueles velhos novos olhos de menina alegre. Abracei-a fortemente, como alguém que iria após aquele gesto de saudade. Logo ao fundo se ouvia um voz inconfundível e acompanhada de uma rizada única. Era o Hugui que vinha no final do corredor.Pronto, a reunião estava completa. Conversamos por horas. A tarde se despedia e logo seria substituída pela noite. Naquela noite mesmo saímos pra dançar, lanchamos pela rua mesmo e relembrávamos os velhos tempos sem esquecer das nossas realidades atuais. Nossa como foram boas aquelas horas.
Eu não bebia, por isso tive que guiar o carro do Hugui no caminho de volta - essa era uma habilidade adquirida através dos ensinamentos do tio Pedro. Já era tarde, as ruas já estavam quase desertas,salvo apenas pelas lanchonetes e bares locais muito animados por sinal.
Deixamos a Kari na casa dos tios - em que ela estava pra passar aqueles dias - e tive mais uma surpresa da noite. Os dois acabavam de se despedir com um beijo. Kari sabia que não entenderia e prontamente me explicara. Quando éramos pirralhos ela sempre colocava as menininhas que corriam atrás do Hugo pra passear. Enfrentava até os meninos que se metiam a brigar conosco se fosse possível. Aquele era o começo de um sentimento meio incompreendido, um misto de cuidado, carinho e amor. Que resultaram em 1 mês de namorico antes dela se mudar e mais algumas recaídas depois de uma difícil sepração. Além disso eles até esqueceram da relação enquanto falávamos pela noite a fora. Por isso que eu não notara nenhum algo a mais entre os dois.
Depois disso seguimos pro apartamento do Hugo e conversamos mais sobre tudo que estava pendente até então. Eu via a confiança de anos de amizade resumida em 2 pessoas. Sabe, eu sempre fui meio sozinho, tive amigos sim, mas acredito que tais amigos na verdade não passavam de colegas. É, eram colegas em que pude contar em determindas ocasiões, mas com quem não me sentia à vontade pra conversar francamente.
O dia quase raiava e ele me levou até em casa. Nos despedimos e entrei. Ao adentrar no aconchego do lar presenciei uma cena muito desagradável e triste. Vi meu pai bêbado sentado à mesa, totalmente sujo e falando besteiras. Acompanhado de pedaços de copos espalhados pelo chão, minha mãe trancada em seu quarto e meu irmão no outro. Todos já estavam saturados, pois a muito tempo aquela situação se repetia e não tinhámos como ajudar definitivamente alguém que não queria se tratar. Apesar disso tudo encarei a situação, ajudei-o a tomar banho, a se trocar e o levei pra cama.
Passaram algumas semanas, meu pai tinha começado a se tratar, buscar ajuda médica. Eu via os meus amigos poucas vezes na semana sendo que aos fins de semana arranjávamos sempre um tempinho pra nos vermos. Mas sentia que minha família estava desestruturada. Via minha mãe se dedicando a casa e sua saúde- ela possuia algumas complicações que a prejudicavam a todo instante - frágil. O irmão, o irmão não era gente ruim, mas era egoista e não ajudava muito em casa - talvez ele fora o meu exemplo de vida. Uma vez ouvi uma frase que me marcara pra todo sempre, ela dizia que com o passar do tempo nós escolheriamos o que não querer pra vida. E definitivamente eu não era melhor que ninguém ali, apenas não queria cometer os mesmos erros cujas consequências já conhecia. Meu pai, coitado, era apenas mais um trabalhador público assolado pelo descaso dos governantes e que buscava o melhor pra tudo e todos, coisas que ele não teve. Mesmo que para isso custasse um preço que ele não poderia pagar.
O dia mais difícil da minha vida foi num sábado. Descobri que meu pai não se tratava mais e concluí que bebia muito mais que antes. Briguei em casa me senti muito mal por isso, ouvi coisas das quais não merecia escutar. E me senti obrigado a tomar uma atitude, já cogitada mas nunca realizada por inteiro. Resolvi sair de casa. Não seria fácil, eu sabia, mas era a melhor alternativa a tomar. Liguei pro Hugo e aceitei o convite - uma semana antes ele me convidara pra dividir o apartamento com ele, já que a Kari estava nos tios e ele estava buscando alguém pra dividir mesmo o lugar.
Arrumei minhas coisas, poucas por sinal e sai com as lágrimas mais doloridas, nunca sentidas antes. Era a certeza de que não voltaria mais. Este era o início do voo do passarinho que aprendia a bater asas sozinho.
Cheguei ao apê do Hugo e mal chegava via alguém que também não estava legal. Era o próprio Hugo chorando muito. Me abraçou forte, eu estava fraco, sem forças pra passar pra ninguém mas aguentei firme. Ouvia palavras como terminou, acabou, to sofrendo muito, misturadas a sussurros e lágrimas. A Kari tinha terminado tudo com ele derrepente e partiu sem dizer adeus e meu amigo perdera o chão com isso. Abraçado a ele chorei também, não consegui segurar, os problemas se acumalavam sob minha cabeça.
Comecei a refletir sobre quem eu deixei atrás daquela porta em que nasci. Naqueles em que acabara de deixar em casa e neste que acabara de encontrar numa situação ruim como a minha.
Encontrava um outro eu que nascia naquele momento, era hora de crescer realmente e que sinceramente não sabia se conseguiria viver assim. Eu tive medo.

2 de mai de 2009

>> Artista do mês


No dia 28 de março de 1986 nascia Stefani Joanne Angelina Germanotta, mais conhecida atualmente com Lady Gaga. Teve esse nome artístico devido a canção "Radio Ga Ga" um sucesso do grupo Inglês Queen. Além disso ela tem influências de David Bowie e do próprio Freddie Mercury.
Estourou nas paradas de sucesso com seu primeiro hit "Just Dance", lançado mundialmente em outubro do ano passado.O segundo single do seu debut álbum seria Beautiful, Dirty, Rich, música que também serve de abertura para a série Dirty Sexy Money. O desempenho da faixa estava mais baixo do que a música que se tornou oficialmente o segundo single, Poker Face. Atualmente Lady Gaga possui como número de vendas cerca de 1,3 milhão de Cds.
Suas apresentações são marcadas por performances emplogantes e figurinos bem exagerados e nada discretos.

Vlw!!

>>> Games

Pressão dos EUA cancela jogo sobre guerra do Iraque

Um executivo da Konami explicou qual foi o cenário que a empresa encontrou e que motivou o cancelamento do lançamento de Six Days in Fallujah. A fonte ligada à empresa disse ao site GameSpot que a pressão americana desmotivou o desenvolvimento do jogo.

"Após ver a reação do jogo nos Estados Unidos da América e ouvindo opiniões por telefone e e-mail, decidimos não vender", disse o executivo da empresa japonesa.

Six Days in Fallujah foi notícia desde as primeiras imagens e informações divulgadas. O jogo causou polêmica, pois tinha um nível de realidade muito alto e tratava sobre um fato que ainda é ferida aberta nos Estados Unidos: a Guerra do Iraque.

O game se passa durante a mais sangrenta batalha da invasão do país, que ocorreu em Fallujah.

Os produtores da Konami chamaram alguns ex-militares para opinar e eles foram unânimes em dizer que, apesar de ultra-real, poderia ajudar o povo a entender como é a situação dos combatentes americanos no Iraque - Ainda há soldados no país.

Apesar da resposta positiva dos "especialistas", a pressão sobre as características do jogo fez com que seu lançamento fosse cancelado.

>>As 7 melhores mentiras da net!!

Fala pessoal, tdo em riba!!heheh!!
Esse post é dedicado a todos vocês que não devemos acreditar em tudo que aparece na internet.
Trata-se de algumas façanhas e acontecimentos mal explicados no mundo virtual.
É são elas:

1 – O tu
rista do World Trade Center


Após os atentados de 11 de setembro, surgiu uma foto de um turista em cima de uma das torres gêmeas com um avião bem próximo da torre, momentos antes dos ataques terroristas. Na verdade, tratava-se de uma montagem. O avião que se chocou é um Boeing 767, e o que é mostrado na foto é um 757. Além disso, a foto mostra o avião se aproximando da torre norte, sendo que a mesma não tinha ponto de observação para turistas. ( Essa até que foi bem feita!)

2 – Vírus do ursinho


E-mails circularam dizendo que o aplicativo “jdbgmgr.exe”, o qual possui um ursinho como ícone, era um vírus e que deveria ser apagado imediatamente do computador. O arquivo em questão não era vírus, mas sim um componente necessário do Windows. ( É mole!!)


3 – Microsoft Firefox



Uma montagem muito bem elaborada de um site mostrava o novo Microsoft Firefox 2007 Professional. A montagem era tão bem feita que muitos usuários acreditaram.






4 – A cobra do McDonald’s



A história era a seguinte: em um restaurante da rede McDonald’s em Goiânia, uma criança estava brincando numa piscina de bolinhas. Até então tudo bem. Porém ela reclamou várias vezes para a supervisora do brinquedo que havia tomado choque, no entanto a funcionária alegava que o brinquedo não tinha nenhum tipo de ligação elétrica. Na terceira vez que a menina reclamou, em seguida desmaiou. A mesma morreu por envenenamento e após esvaziarem a piscina de bolinhas, acharam um ninho de cobras no local. Tal fato teria, segundo a lenda urbana, provocado o fechamento de quase todos os estabelecimentos da rede na cidade.
Esta lenda urbana surgiu nos EUA. A mesma história se repetiu inúmeras vezes, com algumas pequenas mudanças. Sites tomaram conhecimento do assunto, investigaram e chegaram à conclusão de que tudo não passava de mais uma farsa.


5 – Coca-cola light + Mentos


Várias pessoas receberam um e-mail relatando o caso de uma pessoa que havia ingerido Coca-cola light com uma pastilha Mentos sabor hortelã e teria morrido. Segundo o e-mail, a junção desses produtos ocasionava uma explosão. Mais uma mentira. O especialista da USP que é citado no e-mail não existe. A Coca-cola divulgou uma nota afirmando que “(...) ao ingerir uma bebida gasosa, esta entra em contato com a comida e o máximo que pode ocorrer é uma pequena expansão do gás dentro da boca, que se dissipa rapidamente, não ocorrendo nada com intensidade semelhante ao experimento que se observa na internet.”


6 – Leite Longa Vida


A mensagem dizia que o número que fica na parte inferior das embalagens de leite indica a quantidade de vezes que o leite foi retomado, repasteurizado e colocado à venda novamente. Pela lei, o leite cru não pode sofrer duas vezes tratamento térmico. Em termos econômicos, repasteurizar o leite sairia muito mais caro para as empresas. A Tetra Pak divulgou uma nota desmentindo o caso, afirmando que o número em questão é impresso no momento da produção da embalagem e refere-se ao posicionamento da bobina utilizada.


7 – Agulhas contaminadas

Em 1998, circularam e-mails dizendo que um indivíduo foi ao cinema, sentou-se em uma poltrona e foi espetado por uma agulha. Junto desta havia um bilhete dizendo que a pessoa acabara de contrair o vírus HIV. Segundo a Dra. Vânia Maria Bessa Ferreira, no fórum do site da Ong Viva Cazuza, "só haveria risco, ainda que teórico, se esse objeto fosse uma agulha contendo sangue contaminado. Ainda assim, a passagem da agulha pela roupa teria eliminado o sangue. Portanto, não há com o que se preocupar."(Brincadeira de mau gosto por sinal.)

vlw e té mais!!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...